A Partilha do Sensível
  • A partilha do sensível em tempos de pandemia

    Publicado em 12/05/2021 às 14:41

     

    Como um respiro, um relampejo, um gesto de inconformidade, um sim à vida, uma forma de fazer circular os afetos! O projeto de extensão “A partilha do sensível: musicando e poetizando a Universidade”  é inspirado nas reflexões do filósofo Jacques Rancière, especialmente no seu livro: “A partilha do sensível: estética e política” (2005) e visa promover um espaço e um tempo no cotidiano da UFSC para que seus integrantes e pessoas do município de Curitibanos partilhem os seus modos sensíveis, artísticos, de manifestar e celebrar a vida. Acreditamos na importância da partilha do sensível no universo acadêmico, que muitas vezes se rende a uma “frieza cientificista” que se afasta das delicadezas das humanidades, obstacularizando a produção do próprio conhecimento científico. 

    E partilhar sensibilidades é abrir passagens para o pulso da vida. Ainda mais em tempos de pandemia, em que a vida tem sido continuamente destruída, a arte nos convida a resistir e a inventar outros mundos. Como uma semente, um pinhão, a arte carrega a esperança de encontrar um solo para germinar, para fazer nascer uma araucária que continue resistindo à ameaça de extinção, dando passagem ao pulso que nos anima. A arte, portanto, é um sim à vida!

     

    Objetivo geral

    • Colaborar para a socialização e a formação sensível dos integrantes da  UFSC e do município de Curitibanos.

    Objetivos específicos 

    • Socializar
    • Inspirar a empatia
    • Suscitar manifestações sensíveis na vida frente à frieza científica e social;
    • Instigar a inconformidade diante do domínio social;
    • Celebrar a vida.

    Público alvo: todas as pessoas dos campi da UFSC e do município de Curitibanos-SC.